Brasileirinho - PrincipalBoletim de hoje * Mande Notícias!

 

Agência de Notícias Brasileirinho

Boletim de 19/9/08

NOEL ROSA NA VOZ DE MÁRIO REIS
Seleção inclui grandes clássicos como
"Filosofia" e "Vai Haver Barulho no Chatô"

Entrou no ar nesta quinta, 18 de setembro, na Rádio Brasileirinho - Noel Rosa compositor, um lote muito especial: as 16 músicas de Noel que foram lançadas por Mário Reis. A qualidade da seleção é impressionante: uma após a outra, sucedem-se pérolas da música brasileira como "Uma Jura que Fiz" (Noel - Ismael Silva - Francisco Alves), "Mulato Bamba", "Mentir" e "Prazer em Conhecê-lo" (Custódio Mesquita - Noel) - e não chegamos nem na metade! Mário gravou outras 6 músicas de Noel, todas em dupla com Francisco Alves (razão pela qual serão incluídas na página da Rádio futuramente, no lote dedicado às parcerias vocais de Chico Viola).

Todas as músicas foram gravadas entre 1932 e 1936 - a maior quantidade, e seguramente as melhores, são do período 1932-33, encerrando com duas maravilhas da parceria Lamartine Babo-Noel Rosa, "Eu Queria um Retratinho de Você" e "O Sol Nasceu pra Todos". Nas duas, Mário foi acompanhado pelo conjunto Diabos do Céu, dirigido por Pixinguinha.

É curioso pensar como Mário demorou a incluir Noel em seu repertório solo (depois de gravar "É Preciso Discutir", com Chico Alves, no final de 1931, só em meados de 1932 voltou a cantar músicas do Poeta da Vila - as já citadas "Uma Jura que Fiz"/ "Mulato Bamba"). O espanto aumenta se pensarmos que, desde 1929, um dos principais fornecedores de sucessos de Mário era Ismael Silva, o maior parceiro de Noel.

Um dos sambas que Mário interpretou, "Vejo Amanhecer", foi também gravado por Noel em dupla com Ismael Silva, fonograma que só chegou ao mercado em 1955.

O próximo lote, a ser publicado em outubro, será dedicado aos intérpretes que gravaram apenas uma música de Noel Rosa, casos do Bando da Lua e de Ildefonso Norat.

(Fabio Gomes/ Agência de Notícias Brasileirinho)

Copyright © 2008. É proibida a reprodução total ou parcial
do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais