Brasileirinho - PrincipalMisture e Mande

Arquivo

Mistura e Manda

Nº 121 - 10/10/2005

CAMPEÕES DA SEMANA
Mais lidos entre 1 e 7/10

1) Roberto Carlos e a Religião - 230
2) O Trabalho na Música Popular Brasileira - 124
3) Bachianas Brasileiras - 110
4) O Pessoal do Ceará - 106
5) Samba e Indústria Cultural (1916-40) - 97

MAIS LIDOS DE SETEMBRO

1) Roberto Carlos e a Religião - 1255
2) O Trabalho na Música Popular Brasileira - 604
3) Samba e Indústria Cultural (1916-40) e Dicas - 557
5) Bachianas Brasileiras - 522
6) Palco - 521
7) Livro Panorama Histórico da Música Brasileira - 434
8) O Pessoal do Ceará - 400
9) Festas de Arromba do Samba - 329
10) Brasileirinho, o Musical - 317
Obs: em número de acessos

Novidades no Brasileirinho

A grande novidade da semana foi a estréia na quinta, 6, do novo site Jornalismo Cultural (www.jornalismocultural.com.br), o mais novo "irmão" do Brasileirinho. A idéia é propiciar um novo espaço na internet para informação e opinião sobre temas culturais em geral, incluindo a cobertura de estilos musicais diversos dos que tratamos aqui.

Outra novidade são nossas "férias", na proximidade do terceiro aniversário do Brasileirinho, que entrou no ar em 17 de outubro de 2002. Todo o material que está no ar continua normalmente; já a atualização das seções Dicas, Palco, Mistura e Manda e Filmes só deverá ser retomada na segunda quinzena de novembro.

Ah, no sábado, 8, colocamos no ar o curta A Casa, animação criada a partir da música de Vinicius de Moraes.

(Fabio Gomes)

***

Comunidade do Samba da Cohab I

Todo domingo, entre 10 e 14 horas, uma animada roda de samba toma conta da Sala de Teatro da Escola Cunha Bueno (Rua Andrea Feliciano, 501, Artur Alvim), em São Paulo. É a Comunidade do Samba da Cohab I. O projeto nasceu por inspiração do Samba da Vela de Santo Amaro e do Morro das Pedras de São Mateus. O que a princípio pretendia ser apenas uma sessão regular de vídeos sobre sambistas numa sala de aula da escola transformou-se numa roda de samba e choro, em que as pessoas podem conhecer ou recordar músicas da melhor qualidade. Além disso, a Comunidade tem como um de seus pilares a preservação da memória cultural e dos ideais de pessoas como Paulo da Portela, Candeia, Zé Kéti, Nei Lopes e Martinho da Vila, que vive(ra)m batalhando em prol da valorização do samba e da cultura negra.

(F.G.)

***

Harmônicas do Ceará

Pela primeira vez, o Ceará sediará um encontro focado em um instrumento musical: é o Fórum Harmônicas do Ceará, que programa shows no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e workshops no auditório da Câmara Municipal de Fortaleza, entre os dias 14 e 16 de outubro. A idéia é propiciar o intercâmbio entre gaitistas de diversos estados brasileiros, além de mostrar ao público a versatilidade do instrumento, capaz de interpretar qualquer estilo musical, e não só o blues, ao qual é comumente associado.

Participam do evento os seguintes gaitistas: Andy Boy, Benê, Jefferson Gonçalves, José Staneck e Rodrigo Eberienos, cujo leque de influências vai do blues ao erudito, passando pelo pop.

(F.G.)

***

Clube do Choro de Goiânia planeja reinício das atividades

Em função da reforma da ASEG, onde realiza suas rodas, o Clube do Choro de Goiânia esteve "repousando" recentemente. Mesmo que a obra continue, a música volta com força total no próximo dia 4 de novembro. A partir das 18h, tocam os principais talentos da casa e o convidado especial Rogerinho 7 Cordas, lançando seu CD Pintando o 7. A ASEG fica na Av.T-1, esquina com Av.T-8, nº 1173, Quadra 53, no Setor Bueno (fone: 62-3285-6552).

(F.G.)

***

Pereira da Costa

Atendendo a um pedido do leitor Antonio José Melo, de Fortaleza, que queria informações sobre Pereira da Costa, o autor da letra do choro "Brasileirinho", deparei-me com uma verdadeiraz escassez de dados. Não é preciso dizer o megasucesso que a música fez, nos anos 1950, na gravação original de Waldir Azevedo E SIMULTANEAMENTE na versão cantada por Ademilde Fonseca. Nem livros sobre choro ou biografias de Waldir dedicam mais que meia linha ao compositor, algumas vezes mencionado como "Pereira Costa".

A única coisa que é possível garantir é que ele era especialista em escrever letras de choro para o repertório de Ademilde. Ela lançou as quatro únicas composições conhecidas do autor: "História Difícil" (parceria com Vitor Santos, 1945); "Vou me Acabar" (com Altamiro Carrilho, 1948); e, em 1950, dois grandes sucessos num só disco: Brasileirinho" (com Waldir Azevedo) e "Teco Teco" (com Milton Vilela). De todas, a única que já fora gravada antes, como instrumental, é justamente "Brasileirinho". Das demais, só "Teco Teco" passou à posteridade, devido às gravações de Gal Costa no compacto duplo Flor de Maracujá (1975) e no CD Acústico MTV (1997).

(F.G.)

Copyright © 2005. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais.