Brasileirinho - PrincipalMisture e Mande

Arquivo

Mistura e Manda

Nº 125 - 19/12/2005

CAMPEÕES DA SEMANA
Mais lidos de 11 a 17/12

1) Mistura e Manda nº 28 - 262
2) Roberto Carlos e a Religião - 260
3) Palco - 105
4) Bachianas Brasileiras - 104
5) O Trabalho na Música Popular Brasileira - 101

Obs: em número de acessos

Feliz Natal!

Caros leitores,

Um novo ano é como uma folha em branco que nos é apresentada, para que nela coloquemos o melhor de nós.

E é para garantir que todos tenham a inspiração necessária que a cada 25 de dezembro renasce o Menino Jesus!

Um Feliz Natal e um ótimo 2006 são os votos sinceros de

Fabio Gomes

***

Vamos ajudar Arlete Cunha!

A atriz Arlete Cunha está internada há mais de um mês no Hospital São Francisco (Porto Alegre). Seu estado ainda inspira cuidados e ela não tem previsão de alta. Solicitamos aos que puderem ajudar que efetuem um depósito em sua conta corrente no Banrisul, agência 0847, conta nº 35065177.0-9.

Arlete é uma profissional de larga experiência no teatro gaúcho, tendo recebido em março o Troféu Açorianos de Melhor Atriz 2004 por sua atuação Hilda Hilst in Claustro. Sua presença foi determinante também para o sucesso de diversas montagens, entre elas Antígona, Hobárccu, A Incrível História de Héracles e a infantil Muito Cacique para Pouco Índio.

(F.G.)

***

Novidades no Brasileirinho

Entrou no ar na quarta, 14, o artigo Benditas as Sementes Desses Frutos, em que Vera Barbosa comenta o show Natal Brasileiro, de Márcia Tauil e do grupo vocal A 4 Vozes.

(F.G.)
***

Mensagens de Natal

Agradecemos e retribuímos as mensagens de Natal recebidas da Casa de Cultura Mário Quintana (Porto Alegre), Cia. Sandrinha Sargentelli (São Paulo), Clube do Choro de Florianópolis, Espaço Alberico Rodrigues (São Paulo), Instituto Caros Ouvintes (Florianópolis), da leitora Lidiane Radin (São Paulo) e de nosso colaborador Mestre Affonso (Belo Horizonte).

(F.G.)

***

"Caminhando" ou "Pra não Dizer que não Falei de Flores"?

"Caminhando" é uma das músicas mais conhecidas de Geraldo Vandré - só não digo A mais conhecida por causa de "Disparada" (parceria com Théo). É comum, porém, essa música aparecer gravada com o nome "Pra não Dizer que não Falei de Flores" (ou ainda "...das Flores") como título principal, secundado pelo nome original (como no CD Quinteto Canta Vandré, do Quinteto Violado, 1997), ou ainda como título único (como no CD Nação Nordestina, de Zé Ramalho, 2000). Foi nesse outro nome, por exemplo, que a TVE Rede Brasil se inspirou para batizar o especial Pra Não Dizer que Não Lembrei das Flores (2004), em que coube a Margareth Menezes cantar a composição. A Enciclopédia da Música Brasileira (Art Editora/ Publifolha, 1998), chega a falar do lançamento de um LP intitulado Caminhando, em 1968, mas que foi logo proibido pela ditadura.

O curioso é que Vandré até fala em flores na letra, mas não há a frase que acabou "pegando" como título. Mas ela também não veio do nada. De acordo com Tárik de Souza em Rostos e Gostos da MPB (L&PM, 1979), chamava-se Pra Não Dizer que Não Falei de Flores um show que Vandré apresentou, durante mais de um mês, no Teatro Opinião (Rio de Janeiro), logo após o III Festival Internacional da Canção (TV Globo, 1968), em que ficou com o 2º lugar. O que pode ter acontecido é o público ter atribuído o nome do show à canção de maior sucesso apresentada nele.

Ah, e pra não dizer que não falei de feras: Vandré era acompanhado no referido show pelo Quarteto Livre: Nélson Ângelo (violão), Geraldo Azevedo (violão e viola), Franklin (flauta) e Naná Vasconcelos (tumbadora).

(F.G.)

Copyright © 2005. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais.