Brasileirinho - PrincipalMisture e Mande

Arquivo

Mistura e Manda

Nº 136 - 21/4/2006

Dia Nacional do Choro 2003 a 2005

No domingo, 23, comemoram-se os 109 anos de nascimento de Pixinguinha, indiscutivelmente o maior nome do choro. Em função disso, diversos eventos assinalam a data, em todo o Brasil. Todo mesmo? Não: em Porto Alegre, nada foi marcado, depois de três anos em que esse dia reunia o máximo em atrações choronas na capital gaúcha. No próximo tópico, o organizador dos eventos relativos ao Dia Nacional do Choro, Moysés Lopes, líder da Camerata Brasileira, conta o que levou a não haver comemoração do dia este ano.

Aproveite para reler também o que temos no ar sobre aqueles memoráveis choros:

- comentário sobre show de Dois de Ouro, que integrou as comemorações de 2004

- cobertura completa do Dia Nacional do Choro 2005.

(Fabio Gomes)

* * *

Dia Nacional do Choro 2006

Durante três anos - de 2003 a 2005 - a Camerata Brasileira organizou e produziu as comemorações do Dia Nacional do Choro em Porto Alegre. Foram três anos de contato com os chorões gaúchos que - incondicionalmente - apoiaram e prestigiaram os eventos com suas presenças. Para 2006 o projeto era bastante ambicioso: contemplava a realização de um painel de discussão sobre a economia da música instrumental no Brasil, um show com um grupo de projeção nacional, uma oficina com os músicos deste grupo, uma exposição sobre a música instrumental no Rio Grande do Sul, um concurso de composições e um grande show no Largo Glênio Peres com diversos grupos e chorões gaúchos. Realmente, bastante ambicioso. Talvez demais...

Iniciamos o trabalho para o ano de 2006 ainda em dezembro de 2004, e em maio de 2005 tivemos a aprovação do Ministério da Cultura para captarmos recursos através das benesses da Lei Rouanet. À época, as conquistas nos pareciam certas, mas o tempo revelou uma realidade diferente e hoje - às vésperas do dia 23 de abril de 2006 - tudo o que temos são planos para 2007. Acredito que esta é uma boa hora para parar, olhar para trás por cima do ombro e perguntar: Faltou fazermos algo? Algo foi feito errado? Fizemos algo que NÃO deveríamos ter feito? Este será, com certeza, um momento de profunda reflexão, através da qual intentaremos chegar em 2007 mais maduros e preparados.

(Moysés Lopes)

* * *

Karine faz a festa nos 65 anos do Rei

Um aniversário que Porto Alegre não deixou passar em branco foi o de Roberto Carlos, que comemorou 65 anos na quarta, 19. Nesse dia, foi aberta uma exposição de fotos do cantor na Casa de Cultura Mário Quintana (ver Dicas), que contou com uma apresentação da cantora Karine Cunha com seleção do repertório do Rei, na eterna parceria com Erasmo Carlos.

Depois de um ano em que interpretou basicamente suas próprias músicas - o que, lógico, foi importante no processo de amadurecimento do repertório, preparação e divulgação do CD Fluida -, Karine tem se permitido ocasiões em que valoriza composições alheias. Foi assim no aniversário de 61 anos de Elis Regina, e voltou a ser na quarta. Acompanhando-se ao violão, Karine mandou bem em "Quero que Vá Tudo pro Inferno", "As Curvas da Estrada de Santos" e "Emoções" (esta, da primeira vez; ao repeti-la, no bis, colocou uma imitação de trompete que, provocando o riso, destoava do clima romântico da composição), inovou com uma nordestinização de "Se Você Pensa" (à qual acrescentou uma citação de "Berimbau", de Baden Powell e Vinicius de Moraes, no final) e foi simplesmente fantástica em "Você".

(F.G.)

Copyright © 2006. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais.