Misture e Mande

Arquivo

Mistura e Manda

Nº 16 - 22/09/2003

A novidade é o Brasileirinho

Desta vez, a novidade é realmente a página em si, com novo visual e sensíveis melhoras na navegação. Não há muito o que dizer, o ideal nestes casos é que a utilização pelos leitores fale por si. Apenas o diretório de Arquivo das Dicas conserva (por enquanto) a carinha antiga.

Mas sempre há coisas novas no ar, também, como a foto de Pepeu Gomes na página principal que marca o início da colaboração do fotógrafo Bruno Cardoso, de Brasília, com o Brasileirinho, e mais um clássico para ouvir com o Clube do Choro de Porto Alegre: "Dona Divergência", do imortal Lupicínio Rodrigues.

(Fabio Gomes)

***

Clube do Choro no aniversário do Brasileirinho

Bom, o dia do aniversário do Brasileirinho mesmo é 17 de outubro. A comemoração já começou, hoje, com o novo visual da página. Mas a festa não pára por aí. O show do 1º ano acontece em 22 de outubro (quarta), com o Clube do Choro de Porto Alegre, tendo Plauto Cruz como convidado especial, na Cia. de Arte (Rua dos Andradas, 1780, Centro, Porto Alegre).

(F. G.)

***

Liza Maria na escola de samba

N.R.: Quando ouvi Liza Maria tocar, senti uma forte presença do samba em seu trabalho, e comprovei agora. A moça não toca só violão não... (F.G.)

Sobre a escola de samba, foi especial esse convite. Realizarei um grande sonho de tocar tamborim em uma escola de 200 integrantes, só na batéra... Fui convidada pelo mestre de tamborim, que me viu dando uma canja em um pub aqui de Floripa. Esse ano de 2003, toquei em um bloco da Lagoa da Conceição, chamado Bloco Carnavalesco União da Ilha da Magia, foi emocionante...

(Liza Maria, Florianópolis)

***

Expresso 25

O Coral 25 de Julho de Porto Alegre, com 39 anos de trajetória de canto coral tradicional (de expressiva importância no movimento coral gaúcho e brasileiro), está dando uma virada estética definitiva, para tornar-se o EXPRESSO 25. Esta será a nova denominação do grupo, a partir de agora. O trabalho está muito legal e agrega profissionais de primeira linha da música de nosso estado: Ricardo Arenhaldt (bateria), Clóvis Boca Freire (contrabaixo) e mais, só no CD, Fernando do Ó (percussão) e Cláudio Sander (sax). Ainda entra piano, com o Pablo Trindade e flauta transversa, com uma menina do grupo, a Cristina Heilmann. Tudo acústico.

Seus 40 integrantes estão preparando para lançar em outubro um CD e um espetáculo musical (música vocal com roteiro cênico, cenário, iluminação, figurino, personagens, coreografias), com direção geral de Pablo Trindade. O repertório tem Tom Jobim, Chico Buarque, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Lupicínio Rodrigues, Djavan, Ivan Lins, Renato Teixeira, Guinga, Marlui Miranda e Barbosa Lessa. O cenário estará composto de uma arena circular onde o público estará misturado com os atores/cantores, se sentindo parte de tudo. O roteiro acontece na estação da fictícia cidade de Progresso e Esperança, onde o povo guarda ansioso pela chegada do trem.O trabalho agrega profissionais de primeira linha da música do Rio Grande do Sul: Ricardo Arenhaldt (bateria), Clóvis Boca Freire (contrabaixo) e mais, só no CD, Fernando do Ó (percussão) e Cláudio Sander (sax). Ainda, piano (Pablo Trindade) e flauta transversa (da integrante do grupo Cristina Heilmann). Na estruturação da cena, profissionais também superconsagrados: Carlota Albuquerque(coreografia), Félix Bressan (cenografia), João Castro Lima (iluminação) e Daniel Lion (figurino).

(Susana Fröhlich, Porto Alegre)

***

A volta do malandro

Eis o malandro na praça outra vez! Chico Buarque lançou, na semana que passou, seu novo livro, Budapeste (Cia. das Letras), em que apresenta um homem dividido entre duas mulheres e duas línguas - uma nova forma que encontrou para tratar de um de seus temas prediletos: a palavra. O iG colocou no ar uma amostra grátis de Budapeste: em http://www.ig.com.br/paginas/hotsites/chicobuarque/ é possível ver e ouvir Chico lendo o primeiro capítulo da obra.

(F. G.)

 

Copyright © 2003. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais