Misture e Mande

Arquivo

Mistura e Manda

Nº 36 - 16/2/2004

Curso Panorama Histórico da Música Brasileira

Iniciam em março as aulas da primeira turma do curso Panorama Histórico da Música Brasileira, uma parceria entre Brasileirinho - A Sua Página de Música Brasileira e Palavraria - Espaço Cultural Diferenciado (Rua Vasco da Gama, 165, Bom Fim, Porto Alegre - 51-3268-4260).

O curso se desenvolve em 5 encontros, nos quais o editor do Brasileirinho, Fabio Gomes, aborda os principais aspectos da evolução de nossa música. Entre os temas, estão a Era do Rádio, os marcantes movimentos da década de 1960 - Bossa Nova, Jovem Guarda e Tropicália - e a época da Censura do regime militar, encerrando-se com um balanço da atual fase da música brasileira. A ênfase maior recai sobre o popular, mas os principais autores da música de concerto também constam do programa. As músicas mais representativas de cada período serão apresentadas através de gravações.

A primeira edição do curso acontece na Palavraria de 15 a 19 de março (segunda a sexta), das 19h às 20h30, com carga horária total de 7 horas e meia. A inscrição custa R$ 50 e pode ser feita no próprio local do curso de 1 a 11 de março. O horário de funcionamento da Palavraria é de segunda a sábado, das 11 às 21h. As vagas são limitadas.

***

Bandolim novo

O músico Rafael Ferrari estreou seu novo bandolim de 10 cordas na apresentação da Camerata Brasileira no Moinhos Shopping (Porto Alegre - RS) no dia 12 de fevereiro. Ele recebera o instrumento na véspera, diretamente de Campinas (SP).

A respeito do show, o cavaquinista Luís Barcelos comemorou o grau de atenção que o público dedicou ao grupo, algo não muito comum em praças de alimentação de shoppings. Entre os presentes, Runi Corrêa, presidente do Clube do Choro de Porto Alegre, elogiava a modernidade que os jovens da Camerata imprimem ao choro que tocam, ao lado da preservação de aspectos tradicionais.

A Camerata continua com muita seriedade a preparação de seu CD Deixa Assim. No momento, está sendo feita a parte gráfica do disco.

(Fabio Gomes)

***

Lúcio do Cavaquinho (1936 - 2004)

Lúcio Araújo de Quadros, o Lúcio do Cavaquinho, foi velado nesta segunda-feira, 9 de fevereiro, no Salão Adel Carvalho da Câmara Municipal de Porto Alegre.

Lúcio do Cavaquinho nasceu em Rio Pardo, no dia 18 de outubro de 1936. Aos nove anos, começou seus estudos musicais no conservatório musical de Rio Pardo, onde estudou teoria e solfejo até seus 13 anos. Seu primeiro instrumento foi o violino. Mais tarde, abandonou este e dedicou-se ao cavaquinho.

Até os 23 anos, trabalhou no campo. Em 1959, Lúcio do Cavaquinho veio para Porto Alegre. Ingressou no Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFRGS como desenhista e projetista e, após dois anos de atividade, foi convidado para assumir a chefia do Setor Central de Desenho. Permaneceu neste cargo por 16 anos, até pedir demissão para se dedicar exclusivamente à arte musical. Como músico, trabalhou profissionalmente na noite de Porto Alegre durante 15 anos, ininterruptamente. Foi diretor artístico de várias casas noturnas como Chão de Estrelas, Candelabro, Chão de Estrelas 2, hoje Clube da Saudade. Como produtor, destacou-se por sua criação, na década de 70, de A Estrela neste chão de estrelas, a vida e a obra de um cantor, um compositor ou um instrumentista. Foi nessa mesma época que criou o Triunvirato do Samba, trio musical que marcou época na noite porto-alegrense.

Em 1975, Lúcio do Cavaquinho e seu grande amigo Túlio Piva associaram-se e criaram uma das melhores casas noturnas da capital, Gente da Noite, que marcou a década de 70.

Compôs inúmeros choros, como profundo conhecedor do gênero. Gravou 15 LPs e participou, com seu cavaquinho, em shows com os melhores artistas do centro do país, como Nelson Gonçalves, Francisco Egídio, Altamiro Carrilho, Jamelão, Beth Carvalho, Ademilde Fonseca, Germano Matias, Déo Rian, Carlos Poyares, Evandro, Luiz Ayrão, Jorge Costa e Moreira da Silva. Criou o espetáculo que batizou de Recital de Cordas, com seu amigo inseparável, o violonista Jessé Silva. Formou o grupo de choro Lamento. Foi tambémum dos artistas que inaugurou o projeto das quintas-feiras do Theatro São Pedro.

Dedicava-se, nos últimos tempos, ao ensino de música e shows pela capital e interior do estado. Em 1991, recebeu o titulo honorífico de Cidadão Emérito, iniciativa do vereador João Motta, e, em 1997, foi novamente homenageado pela Câmara Municipal, com o prêmio de música Lupicínio Rodrigues, por autoria do vereador Carlos Garcia.

(Letícia Vargas)

***

Correspondência

Temos recebido diariamente muitos e-mails de todo o Brasil e de outros países, o que muito nos alegra. Agradecemos em especial as mensagens do flautista Paulo Gilberto dos Santos, do grupo Barrasqueira (SP), e do pesquisador Bernardo Alves, de Recife, autor do livro A Pré-História do Samba, no qual ele expõe provas que permitem apontar as origens indígenas, e não africanas, do ritmo símbolo nacional.

Lembramos aos leitores que mandarem mensagens através dos formulários das páginas Fale Conosco, Clube do Choro - Contato e CDs da Kalimba Produções que cuidem para informar corretamente seus e-mails, caso contrário não temos como responder. É o que está acontecendo com a pergunta da leitora Patrícia Cristina de Carvalho Salazar, de Várzea Grande (MT), sobre Roberto Carlos.

(F. G.)

***

Mistura e Manda no Carnaval

O Mistura e Manda será atualizado normalmente no site na segunda-feira de Carnaval, dia 23. O envio por e-mail do Mistura aos assinantes já tem condições de ser retomado, pois o nível de segurança na internet voltou ao normal (enfim!). Como avaliamos, porém, que, em virtude de férias e Carnaval, muita gente pode não estar lendo seus e-mails neste período, pretendemos retomar o envio em 1 de março, evitando assim, superlotar as caixas postais de nossos assinantes.

(F. G.)

Copyright © 2004. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais