Misture e Mande

Arquivo

Mistura e Manda

Nº 42 - 29/3/2004

Uma canção para Porto Alegre

O concurso aberto pela Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre por ocasião dos 232 anos da cidade (comemorados na sexta, 26 de março) para escolher uma música inédita que simbolize a capital gaúcha está causando alguma polêmica. O músico Breno Eduardo Outeiral, conforme noticiou o jornal Zero Hora em 22 de março, acionou a Prefeitura na Justiça por dois motivos: 1º, já existiria uma música simbolizando a cidade, "Porto Alegre Valerosa (Uma Canção de Porto Alegre)", de Breno Outeiral, pai do reclamante; 2º, o nome do concurso atual lembra muito o subtítulo da música de Outeiral - aliás, vencedora de outro concurso com o mesmo objetivo em 1963 e transformada em hino da cidade em 1984. Ainda de acordo com o jornal, o coordenador de Música da SMC, Gilmar Eitelvein, afirma que a reclamação "não se sustenta", pois o concurso atual não tem ligações com a música de 1963 - que o coordenador afirma desconhecer. O que não é para estranhar, pois eu mesmo jamais ouvi a execução do hino da cidade, mesmo em solenidades oficiais promovidas pelo Município. Aliás, creio que a única capital brasileira que tem hino conhecido é o Rio de Janeiro - e isto porque trata-se de "Cidade Maravilhosa" (André Filho), marcha de Carnaval que foi adotada, e não um tema composto para hino.

De qualquer forma, a SMC segue com a programação do concurso, que teve as músicas apresentadas neste domingo, 28, no parque da Redenção. Em breve, as músicas concorrentes serão lançadas em CD, cujo encarte conterá um cupom para votação popular.

(Fabio Gomes)

***

Porto dos Casais

A escolha de "Cidade Maravilhosa" como hino do Rio foi mais ou menos natural, dada a consagração da marcha entre a população. Mas haveria centenas de músicas a escolher, se fosse o caso. Com Porto Alegre, não ocorre o mesmo. É certo, temos alguns clássicos, como "Alto da Bronze" (Paulo Coelho - Plauto Azambuja), lançado por Horacina Corrêa na década de 1930 (atenção: o Paulo Coelho em questão era um maestro e pianista gaúcho. Não confundir!). Mais tarde, em 1957, Sílvio Caldas gravou aquela que eu considero o verdadeiro hino da cidade: "Porto dos Casais" (Jaime Lewgoy Lubianca): "É sempre bom lembrar coisas passadas/ Rever os lampiões, os ancestrais/ Singrando o Guaíba, apareceram/ Os velhos fundadores coloniais./ Chegaram tão alegres,/ Alegres por demais,/ Fundaram este Porto dos Casais..."

(F. G.)

***

Deu pra ti

A partir dos anos 70, a valorização dos talentos locais, primeiro na Rádio Continental AM, depois na Ipanema FM, fez com que surgissem novas canções homenageando (ou ao menos falando em) Porto Alegre, como "Porto City" (Cigano, 1983), "Horizontes" (Flávio Bicca Rocha) - tema da peça teatral de sucesso Bailei na Curva (1984), "Pegadas" (Bebeto Alves, 1987), "Porto Alegre é Demais" (José Fogaça, 1993) e a de maior sucesso nacional, "Deu pra Ti" (Kleiton - Kledir, 1981), reproduzindo uma gíria local que significa algo como "passou tua vez", "dá lugar pra outro"... enfim, "deu pra ti".

(F. G.)

***

Menino Deus

Não é muito comum Porto Alegre ser cantada por compositores de fora. Contam-se nos dedos referências como a que a cidade mereceu em "Tô Naquela que Jogaram na Geni" (Meirinho), gravada pela dupla sertaneja Roberto e Meirinho em 1985, ou em "Brasileiro" (Martinho da Vila - Mané do Cavaco, 1994). Nos dois casos, as letras citavam praticamente todas as capitais brasileiras - logo, não valiam como homenagem. Inclusive em "Brasileiro", Martinho fala na "alegre Poá" - uma confusão comum entre a sigla POA, com que nós porto-alegrenses abreviamos o nome da cidade, com o nome de um município da região metropolitana de São Paulo - isso mesmo, Poá.

Valendo mesmo, existe a música "Menino Deus", que Caetano Veloso fez para um bairro porto-alegrense no final dos anos 70 e que foi lançado pelo grupo A Cor do Som. O baiano diz que nunca havia visto uma placa de trânsito tão poética como uma que indicava a direção dos bairros Menino Deus e Tristeza.

(F. G.)

***

Outros bairros

O bairro que Caetano cantou serviu de inspiração para José Fogaça compor uma música de Natal no ano passado: "Cidade do Menino Deus" - afinal, Porto Alegre é a única cidade que tem um bairro com esse nome. Outros bairros receberam homenagens específicas, como "Teresópolis" e "Areal da Baronesa", ambas composições de Giba Giba.

(F. G.)

Copyright © 2004. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais