Misture e Mande

Arquivo

Mistura e Manda

Nº 77 - 29/11/2004

Novidades no Brasileirinho

Nesta semana, agrupamos alguns links da nossa página principal para facilitar o acesso e, por que não?, dar uma "arejada" no visual. Assim, as informações sobre as Atividades Culturais Brasileirinho e o CD-Rom foram concentradas em Produtos Brasileirinho, enquanto em Eventos Brasileirinho você acompanha nossas palestras marcadas na Agenda Cultural e os shows programados para a Noite do Brasileirinho.

(Fabio Gomes)

***

Repercussão da Noite do Brasileirinho surpreende

Foi simplesmente incrível a repercussão na imprensa porto-alegrense e de outros estados em relação à estréia do projeto Noite do Brasileirinho no Kant Bar. O evento aconteceu na segunda, 22, merecendo comentários e citações desde a quinta, 18, até a terça, 23. Agradecemos a todos os veículos e colegas da imprensa que colaboraram conosco nesta jornada.

Depois de abrir com o aniversário de 15 anos do Clube do Choro de Porto Alegre, a Noite prossegue nesta segunda, 29, com o grupo porto-alegrense Macambira. A estréia do conjunto, então um trio, aconteceu na edição de maio da série Na Roda do Choro. Atualmente, o Macambira é um quarteto, composto por Rafael Ferrari (bandolim), Luís Barcelos (bandolim e cavaquinho), Rafael Mallmith (violão 7 cordas) e Ânderson Balbueno (percussão) - todos eles integrantes da Camerata Brasileira. Seu repertório vai do choro de Pixinguinha a melodias de João Bosco, Milton Nascimento e Dominguinhos, além de composições próprias. Tudo isto interpretado misturando influências que vão do choro ao jazz, passando pelo rock e pela música erudita. O nome "macambira" vem de uma planta resistente à seca, que dá vida ao povo que vive no clima árido do Nordeste. Existe ainda uma cidade no Estado de Sergipe com este nome.

(F. G.)

***

Outro Macambira

Fábio, conta pro pessoal do Macambira que aqui em São Paulo existe um grupo maravilhoso (e muito antigo) chamado Bando de Macambiras. São três irmãos: João (bandolim), Luiz (violão de 7) e Assis (percussão).

(Roberta Cunha Valente)

***

Nauty, novo palco para a música brasileira

Reabriu na quinta, 25, a Nauty, localizada no bairro paulistano de Moema. Fisicamente, a casa passou por uma pequena reforma. Já musicalmente, a proposta modificou-se completamente: saem os DJ's e as pick-up's e entra o melhor da música brasileira ao vivo. Esta é a aposta dos novos gerentes da casa, Raimundo Santana e Antonio Carlos Tavares, que fizeram questão de instalar em um dos ambientes, um palco de grandes dimensões, junto a pista de dança e espaço para mesas. Há ainda outro ambiente com um grande salão abrigando mesas confortáveis e um bar estilizado.

A programação de abertura contou com Edith Veiga e Lula Barbosa, dando uma amostra do que será a programação de shows da Nauty, que acontecerá de quarta a sábado, sempre a partir das 22h30. A casa abre às 17h30 para o tradicional happy hour, com música ambiente.

(F. G.)

***

Prêmio NelSONS: escolha os melhores da música cearense

Você pode votar até a segunda, 6 de dezembro, nos destaques da música cearense deste ano, no site www.nelsons.com.br. Editado por Nelson Augusto, o site apresenta uma lista de indicados, à qual o internauta pode acrescentar um artista de sua escolha (a indicação, porém, precisa estar dentro dos critérios do prêmio). Na categoria CDs, por exemplo, não valem discos promocionais ou caseiros.

O Prêmio NelSONS da Música Cearense está em sua quarta edição. Os troféus deste ano foram criados pelo artista visual Valber Benevides e serão entregues em cerimônia na terça, 7 de dezembro, no Centro Cultural Banco do Nordeste (Fortaleza), a partir das 19 horas.

(F. G.)

***

A Barca viaja em busca do som do Norte, Nordeste e Sudeste

A viagem do escritor Mário de Andrade ao Norte e Nordeste em 1938 para conhecer o folclore (música e danças dramáticas) dessas regiões inspirou o roteiro que o grupo paulistano A Barca começa a percorrer a partir de 19 de dezembro. No caminho, o grupo fará shows e gravações, além de ministrar oficinas. A caravana é patrocinado pelo programa Petrobrás Cultural 2004 e resultará em CD e DVD a serem lançados em meados de 2005.

O roteiro intitula-se O Turista Aprendiz (o nome é emprestado de um livro de Mário) e começa por Santarém Novo (PA). No dia 21 de dezembro, A Barca toca ao lado do Carimbó Os Quentes da Madrugada na Abertura da Festa de S.Benedito. Uma semana depois, em pleno Natal, o grupo estará em Cururupu (MA), gravando com o Boi de Costa de Mão Brilho da Sociedade, o Tambor de Crioula de Eliésio e congo no Quilombo Frechal. Ainda no Maranhão, estão previstas gravações com Mãe Gildete na Tenda São José, em Pirapemas, e com Humberto de Maracanã e o Tambor de Taboca e Canjerê, em São Luís. Também na capital maranhense, A Barca faz um show no centro da cidade em 1º de janeiro, saudando 2005.

Na primeira semana de janeiro, o grupo estará nas cidades cearense de Crato e Juazeiro do Norte (onde faz show no Dia de Reis), seguindo no dia 7 para a Paraíba. Dali em diante, estão previstas até 13 de fevereiro gravações com o coco de Odete do Pilar e com Jurema de Chão (João Pessoa), Caboclinho Cahetés (Goiana, PE), Coco Biu Roque (Nazaré da Mata, PE), Maracatu Estrela Brilhante e Bandeira de S.João (Igarassu, PE), Sítio do Pai Adão (Recife), Mestra Hilda e Mestre Verdilinho (Maceió), Seu Nelson da Rabeca (Maceió), Chegança (Coqueiro Seco, AL), índios Kariri-Xocó (Porto Real do Colégio - AL), Samba de Roda (Feira de Santana, BA), incelenças de chuva e capina de roça (Jequitibá, MG), Irmandade do Rosário de Justinópolis (Ribeirão das Neves, MG), índios Guarani - Boracéa (São Sebastião, SP) e finalizando o roteiro na Festa de Oxum de Embu Guaçu (SP). Durante o percurso, também ocorrem shows no Quilombo Caiana dos Crioulos (Alagoa Grande, PB), Pátio de São Pedro (Recife) e Belo Horizonte, além da maioria dos lugares onde A Barca estará gravando com artistas e grupos locais.

(F. G.)

Copyright © 2004. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais.