Misture e Mande

Arquivo

Mistura e Manda

Nº 83 - 10/1/2005

Daniel Wolff em Hamburgo

O violonista porto-alegrense Daniel Wolff esteve em novembro passado em Hamburgo (Alemanha) participando de uma apresentação do grupo Canto do Rio, de Hannover. Daniel apresentou obras de Heitor Villa-Lobos e temas próprios, até cair no choro com o conjunto anfitrião. A partir daí, rolaram pérolas como no "Um a Zero" (Pixinguinha) e "Di Menor" (Guinga). Para retribuir o convite, Daniel convidou o clarinetista do Canto do Rio, Wilfried "Walfredo" Berk, para participar de seu próximo CD, a ser gravado este ano em Porto Alegre.

(Fabio Gomes)

***

Wilfried Berk em Porto Alegre

Se a participação se confirmar, não será a primeira vinda de Berk à capital gaúcha. Carioca radicado há décadas na Alemanha, o clarinetista solou o "Concerto para Clarineta e Orquestra" (Wolfgang Amadeus Mozart), em que a OSPA (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) foi regida pelo chileno Victor Tevah, em agosto de 1978. A temporada, além de um outro recital na Sociedade Pró-Música, proporcionou ainda uma grande alegria a Berk. É ele quem nos conta:

- Um colega músico, o pianista gaúcho Cláudio Soares (hoje radicado no Japão), nos levou ao Restaurante Michel, na rua Senhor dos Passos (Centro de Porto Alegre) e foi lá que, para nossa surpresa, ouvimos a flauta chorona de Plauto Cruz com sua patota. Nesta ocasião ele me autografou o CD O Choro é Livre, excelente, um dos meus preferidos até hoje.

(F. G.)

***

Fórum Gaúcho da Música Brasileira

Reproduzimos abaixo o comunicado da cantora Adriana Marques, com edição de Álvaro Santi, sobre a reunião de criação do Fórum Gaúcho da Música Brasileira (ver Mistura e Manda nº 78), ocorrida em 7 de dezembro em Porto Alegre. Quem quiser receber direto todas as mensagens enviadas para o grupo, pode se cadastrar no grupo de discussão virtual enviando uma mensagem para [email protected].

Amigos, colegas e "assemelhados"...

Dia 7 de dezembro, participamos de uma reunião/encontro na Sala Álvaro Moreira, articulada entre o Ministério da Cultura, a Funarte, a Prefeitura Municipal e um grupo de músicos da cidade (Geraldo Flach, Arthur de Faria, Lúcia Helena, entre outros). Como a discussão proposta é extremamente pertinente a todos que trabalham com cultura (músicos, produtores culturais, educadores musicais...), resolvemos socializar alguns temas que estiveram em pauta.-

Estavam presentes um representante do Ministério da Cultura, a presidente da Funarte, Ana de Holanda, uma articuladora nacional do projeto e músicos representando os Fóruns de Músicos do Rio de Janeiro e São Paulo, já criados. O Ministério da Cultura está propondo, a criação de Câmaras Setoriais que seriam responsáveis pela definição de políticas públicas nacionais para a cultura, entre outras funções. Para tanto, trazem à análise e discussão das categoriais envolvidas o formato a ser dado às Câmaras (que seriam 4: Literatura, Livro e Leitura; Artes Visuais; Artes Cênicas e Música). Esta discussão já vem acontecendo em outras capitais e, nelas, já foram surgindo sugestões que ontem foram apresentadas e expostas à avaliação do grupo local, com a presença de mais de 100 pessoas.

De acordo com a proposta, seriam 5 regiões nacionais (Norte, Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e Sul) que poderiam ter até 5 representantes que participariam das discussões nacionais que continuarão a acontecer. Estes representantes seriam apontados pela categoria a partir de Fóruns de discussão a serem organizados regionalmente entre as categorias. Ou seja: nosso primeiro passo, dado no dia 7/12, seria a organização de um Fórum de Músicos permanente para discussões dos pontos levantados como prioritários para a categoria, onde um representante será escolhido para ser um articulador entre as regiões e o grupo maior (que seria composto por mais ou menos 15/20 pessoas representando os seguintes setores: poder público, setor privado, sociedade civil e especialistas na área da cultura).

Os temas/eixos norteadores das discussões levantados até o momento - e apresentados num organograma sugerido pelo grupo articulador do encontro - foram os seguintes:

Resumindo, lançamos o nosso Fórum Gaúcho da Música Brasileira, integrado desde já pelos músicos presentes e aberto a todos os demais que quiserem fazê-lo daqui por diante, que estabelecerá uma sistematicidade de encontros para a discussão/ampliação dos temas propostos e para a escolha de um representante regional da categoria para dar continuidade às discussões em nível nacional. Dessa forma, estamos contribuindo para a construção da Câmara Setorial da Música de acordo com as demandas da nossa categoria e buscaremos uma mobilização permanente da categoria em torno dos temas que dizem respeito à realidade do músico local/brasileiro.

(Adriana Marques)

Copyright © 2005. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais.