Brasileirinho - Principal

Voltar ao Menu - Artigos

EVELINE HECKER - PONTE AÉREA

Por Tatiane Marchesan

 

Uma ponte entre Rio e São Paulo. Uma ponte entre o reconhecido e o desconhecido. Foi assim que chegou aos meus ouvidos o trabalho de Eveline Hecker, Ponte Aérea, lançado pela Biscoito Fino. A moça, antiga vocalista de Tom Jobim, saboreia cada acento das composições de José Miguel Wisnik, seu amigo e parceiro de longa data e sobre o qual Beth Carvalho, num determinado momento, afirmou que estava para Eveline assim como Nelson Cavaquinho estava pra ela. "Parecia que eram parceiros pela afinidade musical". Creio que Beth estava certa, este conjunto, que transcende ao disco, faz com que o trabalho mereça ser saboreado com calma e atenção.

Eu, que não a conhecia, deslumbrei-me com o tom intimista e a primazia do instrumental que valoriza esse traço. O timbre lembra Mônica Salmaso. Sutil, como o das damas da bossa, faz com que a voz aveludada caminhe de braços dados com cada tecla do piano tocado por Wisnik. A música que dá título ao disco é um bom exemplo disso, uma divisão perfeita faz com que os tons vocais preencham qualquer lacuna instrumental que poderia existir. Os acordes têm bastante de bossa, mas muito da música portuguesa também. Traço que confere melancolia em vários instantes. Sensação brevemente quebrada pelo samba marcadinho, "Comida e Bebida", anteriormente gravado por Elza Soares, mas logo retomada numa segunda audição já detentora de um novo olhar. No bis, o melancólico foge, ou acentua-se, no samba, "Viúvo"/"O Tempo Não Apagou", onde Paulinho da Viola é citado. Eveline, que já trabalhou com Beth Carvalho e atuou durante seis anos no grupo Arranco, mostra que conhece o tom do samba. Bem acompanhada por Maurício Carrilho (violão), Pedro Amorim (bandolim), Luciana Rabello (cavaquinho), entre outros, mostra novamente um casamento perfeito.

Escrevo ainda em estado de êxtase, mas sem propriedade para delinear a amplitude do trabalho. Gostei, gostei muito. Creio que este texto mereça a ser reescrito daqui um mês, um ano, pois como Zeca Assumpção afirmou, "Poderemos contar e cantar com ele mesmo em um futuro ainda distante. Penso que estará forte ainda".


Ponte Aérea - Eveline Hecker
Composições de José Miguel Wisnik
Produção: Zeca Assumpção
Gravadora: Biscoito Fino

Músicos:
Piano: José Miguel Wisnik
Sampler e teclados: Sacha Amback
Percussão: Marcos Suzano / Marcelo Costa / Celsinho Silva
Baixo acústico: Zeca Assumpção
Violão: Maurício Carrilho / Ricardo Silveira / Mário Adnet
Violão 7 cordas: Luiz Otávio Braga
Bandolim: Pedro Amorim
Cavaquinho: Luciana Rabello
Cello: Jaques Morelenbaum
Viola e Violão 12 cordas: Luiz Brasil

Copyright © 2004. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais