Brasileirinho - Principal

Voltar ao Menu - Artigos

 

LUÍS BARCELOS, DESTAQUE NA RODA DO CHORO

Por Fabio Gomes

 

O jovem instrumentista Luís Barcelos destacou-se na penúltima edição de 2002 do projeto Na Roda do Choro, no dia 10 de dezembro. É certo, foi uma noite que teve muitos convidados (já chegamos lá), mas creio que, no todo do espetáculo, ele discretamente fez a diferença, para usar uma expressão da moda.

No grupo que integra, a Camerata Brasileira, Luís executou com segurança o violão de 7 cordas. Na parte que cabia ao Grupo Reminiscências, esteve presente quase todo o tempo, com seu instrumento de origem, o cavaquinho. Tudo bem, isso ele já tem feito nas últimas terças. Mas o grande momento de Luís foi como compositor, quando a Camerata executou seu choro “Sol e Lua”. A música inicia lenta, quase uma valsa, alegre com um “quê” de melancolia; o ritmo vai aumentando, a alegria domina a melodia, com a transição choro-samba-sambão. Após uma seqüência de compassos em oitavas nos violões, retomam-se os trechos “choro” e “samba”. Uma grande página musical!

A Camerata também interpretou, de seu bandolinista Rafael Ferrari, “Minha Vida”, um choro cadenciado, cheio de breques, puxando para o samba, cujo estilo lembra um pouco o de Jacob do Bandolim.

Luís Machado, violão de 7 do Reminiscências, tocou ao lado de Luís Barcelos e, em algumas músicas, do pandeirista Solano, acompanhando o pianista Giovani Porzio em composições de Ernesto Nazareth, Paulinho da Viola, Pedro Galdino e Chiquinha Gonzaga. Encerrada sua participação, Giovani não se conteve e foi novamente ao piano colaborar em “Doce de Coco” (Jacob do Bandolim – Hermínio Bello de Carvalho), em que Machado e Solano, ao lado de Tiago Braga (cavaquinho), acompanhavam o flautista Petrônio Marcus de Souza. Petrônio tocou ainda “Naquele Tempo” (Pixinguinha), numa interpretação que agradou bastante os presentes.

Encerrando a noite, o cavaquinista Luís Arnaldo mais uma vez se apresentou, desta feita acompanhando o violonista Tiago Piccoli em choros de João Pernambuco e Garoto – é deste o “Lamento no Morro”, que foi demoradamente aplaudido pela platéia.

Copyright © 2003. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais