Brasileirinho - Principal

Voltar ao Menu - Artigos

 

NA RODA DO CHORO HOMENAGEIA ERNESTO NAZARETH

Por Fabio Gomes

 

A Sala Luís Cosme (Casa de Cultura Mário Quintana - Porto Alegre) estava quase lotada na terça, 2 de março de 2004, em função do início da temporada da série Na Roda do Choro. Fazendo a saudação inicial, o historiador Luiz Roberto Lopez exaltou o choro como "o equivalente popular brasileiro da ária de ópera".

Em seguida, o Grupo Reminiscências abriu os trabalhos musicais, com Luís Machado ao violão, Sérgio no bandolim, Solano no pandeiro e apresentando um novo cavaquinista, Maxwell, aluno de Luís Machado. O homenageado da noite foi Ernesto Nazareth, cujos 70 anos de falecimento foram completados em 4 de fevereiro. Dele, o Reminiscências tocou "Atlântico", "Perigoso", "Fidalga" (valsa, só com Machado e Sérgio) e "Odeon" (esta já com Luís Barcelos no lugar de Sérgio). Barcelos arrasou depois em "Tico-Tico no Fubá" (Zequinha de Abreu), improvisando na repetição da segunda parte e fraseando no retorno à primeira; depois disso, sentiu-se à vontade para improvisar sobre a melodia toda.

A Camerata Brasileira encerrou a noite, apresentando, pela primeira vez na Roda, "Maxixado", de Henry Lentino (do Tira Poeira). Foi o número mais aplaudido e o único em que o percussionista Ânderson Balbueno empunhou o tamborim por alguns compassos, retomando o pandeiro em seguida. Do repertório que a Camerata já tem mostrado na CCMQ, e que estará no CD Deixa Assim, destaco "Czardas" (Vittorio Monti), no qual o grupo foi especialmente feliz nesse dia.

Copyright © 2004. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais