Voltar

 

ACABA O BEBENDO DO SAMBA

Por Fabio Gomes

 

 

A pouca presença de público na Sala Luís Cosme na noite de 28 de setembro de 2004 (provavelmente em função da chuva que caiu durante todo o dia em Porto Alegre) deu um toque melancólico a mais à última edição do projeto Bebendo do Samba.

Dois motivos foram citados para justificar o encerramento: o percussionista Ânderson Balbueno, um dos idealizadores, citou a falta de tempo - todos os participantes têm muitas atividades paralelas (como ele, que toca também na Camerata Brasileira e no Macambira); já o violonista Moysés Lopes (seu colega na Camerata) citou a falta de interesse dos compositores convidados a participar, acrescentando:

- Fico triste porque daqui a um mês vou ouvir: Pô, não tem nenhum projeto de samba em Porto Alegre. O músico não ocupou o lugar que poderia. O projeto foi morto por aqueles para os quais ele foi criado.

Era compreensível que os músicos demonstrassem um certo abatimento no início da apresentação. Posicionados Rafael Mallmith (violão 7), Luís Barcellos (cavaquinho), Rodrigo Weber (repique de mão), Dino (repique), Ânderson (pandeiro), mais Rodrigo Lucena e Fernandinho nas palmas, passou-se à apresentação dos melhores sambas da primeira edição: "Herança Brasileira", "Filosofia Brasileira" e "Pedras no Caminho". "Perdoa Quem te Faz Feliz" foi muito aplaudida. Já durante a execução de "Nossa Aclamação", arrebentou uma corda do cavaco de Barcellos - o que já era uma tradição do projeto (aliás, ele já começou a tocar tendo um jogo completo de cordas a seu lado para qualquer emergência...). Outros sambas não foram incluídos em função dos próprios autores não lembrarem da letra toda, o que deve ser creditado ao clima de forte emoção.

Corda trocada, seguiu-se com os sambas lançados em julho: de André Luís "Herança de um Bamba" (Lucena assumiu o pandeiro); na seqüência, "Você nem Quis Saber (Ingrata)" (Luís Barcellos - Rafael Ferrari - Edgar Araújo)(bom samba) e "Doce Encanto" (Barcellos - Ânderson). Nessa hora, chega Beto do Partido de Primeira, que é informado que o projeto encerrava naquele dia. Visivelmente decepcionado (todos estávamos), Beto cantou "Muito Mais que Sonhador" (definido pelo público como "totalmente excelente"). Nesse, Ânderson assumiu o repique e Dino o repique de mão; Weber reforçou as palmas, assim como Beto. O "Hino do Bebendo do Samba" (Ânderson - Ilson Júnior) teve como surpresa o apito de Weber ao final.

Para finalizar, Ânderson sugeriu uma roda de samba, com cada músico lembrando um clássico. A junção acabou sendo o grande momento da noite, com destaques como "Não Diga a Minha Residência" (Bide - Marçal), "O Sol Nascerá" (Cartola - Elton Medeiros), "Feitiço da Vila" (Vadico - Noel Rosa), "O Orvalho Vem Caindo" (Noel Rosa - Kid Pepe), "Força da Imaginação" (Dona Ivone Lara) e outros, encerrando em alto estilo com "Aquarela Brasileira" (Silas de Oliveira).

Copyright © 2004. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais