Brasileirinho - PrincipalVoltar ao Menu

Cinco Perguntas para... JOÃO 7 CORDAS

Por Fabio Gomes

 

João 7 Cordas, líder do grupo Puro Samba, recebeu uma missão das mais agradáveis no dia 17 de julho de 2003: organizar uma roda de samba em Porto Alegre a pedido de Zeca Pagodinho. A festa aconteceu, em plena tarde de quinta, no Bar do Ricardo (Rua Caldre Fião, 358, Santo Antônio - 51-3219-6562).

BRASILEIRINHO – Como foi que surgiu a idéia da roda de samba com o Zeca Pagodinho aqui em Porto Alegre?

JOÃO 7 CORDAS – Eu e o Zeca somos amigos há muitos anos. Morei três anos no Rio de Janeiro e conheço o Jessé (Jessé Gomes da Silva é o nome de batismo de Zeca) desde 1984. Ele passou uns dias em Gramado com a família e me ligou, disse que tava com saudade, falou: “Vamos organizar uma roda de samba?”. E nos reunimos, eu e o Darcy Alves no violão, Paulinho do Banjo, King... Tinha mais gente, mas fica difícil lembrar todo mundo. Foi uma coisa boa!

B - A escolha do Bar do Ricardo também foi sua?

J - É, o Zeca queria fazer uma coisa mais solta, em outro lugar podia ficar um pouco mais complicado. Mesmo assim, começamos tocando só nós cinco, quando vimos já tinha 500 pessoas!

B – E o repertório? Coisas do Zeca, clássicos...

J – Rolou de tudo. Repertório dele, coisas do Cartola, Nelson Cavaquinho, Leci Brandão... Umas músicas inéditas que ele passou pra Beth Carvalho e ela ainda não gravou.... Mas cantamos de tudo, de samba-canção a marcha de carnaval.

B – O Zeca passa a imagem de ser uma pessoa muito simples, né? Só isso de fazer essa roda já demonstra.

J – Ah, o Zeca é fora de série. Ele até nem queria deixar o Vaz (Luiz Armando Vaz, fotógrafo do Diário Gaúcho) bater foto, por causa da gravadora, que podia se incomodar. Ele mantém aquela escola lá em Xerém que começou com três alunos, hoje tem 360, tudo com material, alimento e calçado pago por ele. E os filhos dele mandaram ver na roda: a Elisa (11 anos) canta muito, tá se criando. O Eduardo (16 anos), no violão, mandou bem. O outro filho, o Luisinho (14 anos) chegou a estudar, mas largou. Depois o Zeca ainda ficou aqui até domingo.

B - E o Puro Samba, sempre em atividade?

J – Eu e meus companheiros do Puro Samba (Fábio do Cavaco, Buiu no tantã e Nenê no pandeiro) estamos tocando bastante. Até o fim do ano devemos entrar em estúdio para começar a gravar nosso CD.

Copyright © 2003. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais