Brasileirinho - PrincipalVoltar ao Menu

 

Pierrô Apaixonado



Joel e Gaúcho cantam "Pierrô Apaixonado", marcha de Noel Rosa e Heitor dos Prazeres, numa cena do filme Alô, Alô, Carnaval! (1936)
obs: há vários pequenos cortes no áudio, com leves pulos na imagem, ao longo da execução

Dirigido por Adhemar Gonzaga e produzido pela Cinédia, o filme teve pré-estréia no Cine Alhambra (Rio de Janeiro) em 15 de janeiro de 1936, estreando a seguir no mesmo local a 20 de janeiro e no Cine Alhambra de São Paulo a 20 de fevereiro. Em cena, a história de dois autores de teatro de revistas - vividos por Barbosa Júnior e Pinto Filho, a dupla que aparece dançando ao lado de Joel e Gaúcho -, que procuram um dono de cassino (Jayme Costa) para que ele produza sua peça Banana da Terra, o que ele recusa, porque aguarda uma companhia da França. Com o cancelamento da vinda dos franceses, porém, o empresário acaba recorrendo à dupla. O enredo é um pretexto para o desfile de músicas do Carnaval de 1936, algumas das quais se tornaram clássicos como "Cadê Mimi" (João de Barro - Alberto Ribeiro), cantada por Mário Reis, e esta "Pierrô Apaixonado" (Leia mais sobre o filme no Mistura e Manda nº 18)

Noel Rosa teve outra marcha incluída em Alô, Alô, Carnaval! - "Não Resta a Menor Dúvida", em parceria com Hervê Cordovil, interpretada pelo Bando da Lua.

Deixou de entrar o samba "Palpite Infeliz", que Aracy de Almeida deveria cantar enquanto lavava e estendia roupa num quintal. Aracy se recusou e abandonou as filmagens; Noel ainda tentou ensinar o samba a Rosina Pagã, que não conseguiu interpretá-lo, de modo que nem Aracy nem "Palpite Infeliz" entraram no filme. Mas convenhamos: infeliz mesmo foi o palpite - que João Máximo e Carlos Didier atribuem ao próprio Noel - de fazer Aracy "interpretar" uma lavadeira ao cantar este samba, cuja letra coloca Vila Isabel no mesmo patamar sambístico do Estácio e da Mangueira, sem referência alguma a tábuas e sabões...