Quer montar este texto?
Textos teatrais
Voltar

BRILHANTINA

Por Fabio Gomes

 

Estamos inaugurando para o grande público o Teatro Relâmpago com a peça Brilhantina. A ação se passa na sala de uma casa e tem como personagens moças, rapazes, o pai de uma das moças e a mãe de um dos rapazes. A época é anos 50, 60, por aí. Trilha sonora da pesada, claro (Elvis, Beatles, Roberto & Erasmo etc.). Certo? Agora, silêncio, por favor, que a peça vai começar.

ATO ÚNICO

Cena I

(No meio da festa, durante a música "Banho de Lua", um rapaz tira uma moça dos braços de outro.)

RAPAZ 1 (agressivo) - Ô cara, não viu que o broto tinha dono?

(Pára a música)

RAPAZ 2 - Vi, só que ela vai dançar COMIGO agora.

RAPAZ 1 - Mas logo agora? Você podia ao menos esperar acabar a música, né?

RAPAZ 2 - Ó, cara: dançando mal como você tava, eu achei melhor tirar a garota desse suplício.

RAPAZ 1 - Peraí, dançando mal, não: eu tirei o 1º lugar em "rock'n'roll" no concurso do colégio, mês passado.

RAPAZ 2 - Incrível como alguém pode piorar tão rápido!

(O rapaz 1 puxa o canivete. O rapaz 2 põe-se em posição de ataque. Começa a tocar "Jailhouse Rock", com Elvis Presley. Começa a briga. A platéia não precisa ficar em pânico, é tudo fingimento. Os outros rapazes separam a briga. Durante o resto da peça os dois ficam se encarando mas nada mais sério acontece.)

MOÇA 1 - Que horror!

(Continua a festa.)

Cena II

(De repente, abre-se a porta e entram o pai de uma das moças e a mãe de um dos rapazes. Param, espantados. A festa pára, mas os Platters continuam cantando "Only You".)

PAI - Você me falou que aqui era seguro, não tinha ninguém. E a gente chega e tá essa bagunça toda aqui.

RAPAZ 3 - Bagunça não, ô careta! A gente tá curtindo o maior "rock'n'roll", manja?

MOÇA 2 - Não chama meu pai de... (espanta-se) Papai! O que o senhor está fazendo aqui? E logo com essa mulherzinha ordinária?

MÃE - Mulherzinha ordinária, não! Uma ova! Eu sou a dona desta casa!

RAPAZ 4 - Mãe! O que você está fazendo com esse cara?

TODOS OS JOVENS - Epa!

(Pai e mãe ficam envergonhados. Não era pra menos, né?)

MÃE - Bem...hã...nós...hum...hã...

PAI - Eu apenas a encontrei na rua e dei uma carona pra ela até aqui. Só isso.

TODOS OS JOVENS - Aaaaaah, tá!

MOÇA 3 - Mas o senhor precisava entrar aqui?

PAI - Ela... hã... me convidou para tomar um pouco d'água.

JOVENS - Hum...

(Os jovens se agrupam e cochicham. Depois falam aos velhos)

RAPAZ 5 - Só tem o seguinte, coroas: agora a gente tá no maior barato.

RAPAZ 3 - E não tamos nem um pouco a fim de parar a festa.

MÃE (indignada ) - Vocês estão me mandando embora da minha própria casa?

MOÇA 4 - Calma, véia. A festa não vai durar a vida toda.

PAI (para a mãe) - E agora? Aonde a gente vai?

MOÇA 2 (aproxima-se do pai e cochicha) - Deixa de ser tapado, papai. Convida a coroa para tomar água lá em casa!

(Cai o pano.)

Copyright © 2005. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais