Brasileirinho - Principal

Voltar ao Menu

 





















SHOW DE MARIA BETHÂNIA E OMARA PORTUONDO

O dia 15 de março de 2008 foi muito especial para as estudantes Ingrid Cavalcanti, Lívia Olivetti e Viviane de Sales, do Colégio Estadual Vicente Jannuzzi (Rio de Janeiro), e para as professoras Vânia Corrêa Pinto (Filosofia), Ana Cristina Rodrigues (Português) e María Paz Mera Lemp (Música). Na noite daquele sábado, todas estiveram no Canecão assistindo a uma das apresentações da temporada carioca do show das cantoras Maria Bethânia e Omara Portuondo. María Paz, chilena, veio ao Brasil atendendo a um convite de Vânia, idealizadora do Projeto Brasileirinho (leia mais sobre a colaboração entre as duas professoras clicando aqui). Na segunda-feira, 17 de março, María Paz visitou o Colégio Jannuzzi (veja aqui imagens da visita).

A nosso pedido, alunas e professoras dividem com nossos leitores suas impressões sobre o show e a visita ao camarim de Bethânia. Clique nas fotos para ampliá-las.

Lívia Olivetti e Ingrid Cavalcanti, estudantes:

"O dia 15 de março de 2008 para nós, alunas do Colégio Estadual Vicente Jannuzzi, foi muito importante, pois foi o dia que conhecemos de perto o Canecão e a cantora Maria Bethânia.

Já tínhamos visto a cantora em CD e DVD, porém, a experiência de poder estar ali de perto foi muito boa. O show foi um espetáculo maravilhoso, todos os lugares ocupados. Achamos que não passaria disto, apenas vê-la no palco, mas foi diferente...

Ao término do show fomos para a entrada do camarim; até encontramos alguns famosos, mas nenhum mereceu melhor atenção. Quando a professora Vânia conversou com a pessoa responsável pela entrada do camarim, ficamos na dúvida se realmente conseguiríamos entrar...

Nem acreditamos quando em meio a tantos convidados ouvimos uma voz dizendo que era para a professora e os alunos subirem...Assim que entramos nos deparamos com a Bethânia tirando fotos com alguns fãs. Quando Bethânia de repente nos vê ao lado da professora, vem correndo nos abraçar e falar conosco; nesse momento nos sentimos muito felizes e orgulhosos: foi um grande privilégio.

Ela é muito gentil, simpática e humilde, nos sentimos muito à vontade ao seu lado. Tiramos algumas fotos, ela autografou nossos poemas, comentou nossos trabalhos artísticos e principalmente nos deu muito incentivo em nossas leituras e estudos. Nós a convidamos para comparecer ao próximo Sarau na escola - esperamos que ela possa ir. Depois nos despedimos e quando estávamos na saída do Canecão, ainda não acreditávamos que tudo aquilo fosse verdade... Foi ótimo ter vivido tamanha experiência; realmente foi um dia inesquecível."

***

Vânia Corrêa Pinto, professora de Filosofia:

"Como cidadã brasileira, amante de meu país, de nossa cultura, raízes e tradições, eu sinto um orgulho enorme todas as vezes que vejo alguém trabalhando pela nossa memória, pela valorização de tudo aquilo que é de nosso povo. Quando em março de 2008 eu e meus alunos pudemos ver de perto a Bethânia ao lado da cantora cubana Omara Portuondo, percebemos o quanto era importante o trabalho que realizávamos em nossa escola: realmente a cultura brasileira merece ser cuidada com carinho, ser tratada com reverência, respeito e admiração, pois é nossa própria identidade, aquilo que nos une e renova.

Depois do show, no camarim, Bethânia nos recebeu com toda alegria e emoção - era visível para todos seu reconhecimento, sua profunda compreensão da importância que seria para os alunos ouvir naquele momento uma palavra de incentivo e apoio. Ela o fez da forma mais gentil possível. Saímos do Canecão agraciados e afagados. Saímos confiantes que o Brasil merece esse crédito de nossa parte, que a educação tão falada e almejada pode acontecer em diferentes caminhos e lugares."

***

Ana Cristina Rodrigues, professora de Português:

"Desde 2005, quando o Projeto Brasileirinho ainda estava tomando forma, é que acompanho a professora Vânia Corrêa Pinto, amiga e colega de profissão, na sua busca pelo tom perfeito para o trabalho que, depois de concluído, se tornou um exemplo de dedicação e profissionalismo. E naquela noite, em meio às águas de março, a acompanhei até o Canecão para o show de Maria Bethânia e Omara Portuondo.

Vânia havia programado a noite do show para levar consigo algumas alunas que, com empenho e entusiasmo, enveredaram pelos caminhos da brasilidade, tornando concreto a proposta de pesquisa idealizada pela professora do Colégio Vicente Jannuzzi, da Barra da Tijuca, Rio.

O show, como sempre acontece nas noites em que Maria Bethânia pisa no palco, aconteceu sublime, delicado e festeiro somado à força interpretativa de Dona Omara, como Bethânia carinhosamente a chama.

Depois, no camarim, o contato direto com a Bethânia, que ali, despojada do título de diva, reverenciou a professora Vânia com um respeito de aprendiz.

A cantora baiana nos recebeu com delicadeza e entusiasmo, e foi com veemência e empolgação que deu conselhos otimistas às alunas, incentivando cada uma em sua destreza para a arte.

Saí do Canecão, orgulhosa por ser professora, por vir acompanhando de perto a evolução do projeto desenvolvido por Vânia, por ter estado perto de Bethânia e por saber que ela entendeu, perfeitamente, a dimensão desse trabalho escolar, tão pequeno por ser diário, e que tocou com precisão adolescentes carentes de orientação e cultura brasileira."