Brasileirinho - Principal

Voltar ao Menu

SARAU 2007 - SALVE AS FOLHAS

Estes poemas, escritos por estudantes da turma 1011 do Colégio Estadual Vicente Jannuzzi (Rio de Janeiro) a partir da música "Salve as Folhas" (Gerônimo - Ildásio Tavares), gravada por Maria Bethânia no CD Brasileirinho, foram apresentados no evento Brasileirinho: Sarau de Filosofia e Poesia no Bosque, realizado no bosque da Barra da Tijuca, na tarde de 4 de setembro de 2007, dentro da continuidade ao Projeto Brasileirinho - Os Tons da Aquarela Cultural de nosso País.

3

Triste Solidão

(Lívia Azevedo de Olivetti e
Patrícia Barros da Silva)

Descobri quando aqui cheguei
que não sabia quem eu seria,
a ordem desandou em meio
a tanta desordem.
Mas me senti mesmo com tanto cuidado
que alguém sempre por alguns instantes
me livraria dos pensamentos tortuosos.
Foi um "baque" , o batuque desesperador,
dos meus sentidos, da minha dor.
Que mesmo quase sem eles,
retornei a lembrança do presente.
Mesmo na ausência carente de um
coração sentimental, a dor
não me deixou sem ar.
Mas acabo de lembrar
o quanto são importantes
os pequeninos sonhos, quando tanta força
natural nos apresenta.
Tudo, graças ao dono deste mundo que
pensamos ter e possuir: Deus.

1

Aroni no Descobrimento

(Karoline Rodrigues, Valquíria Alves, Elaine da Silva Cabral,
Kássia Beatriz e Eli de Paula)

Aroni,
Sei o que fazes aqui,
és a força da natureza
que habita o Brasil
bem antes do homem branco.
Meditação sobre o verbo
cultivar:
cultivar a vida
cultivar o verde,
a folha, a raiz!
Aroni,
antes do homem branco,
o Brasil era feliz?

2

Homem Branco no Descobrimento

(Lívia Azevedo de Olivetti e Patrícia Barros da Silva)

Brasileiro que nem eu
tem sonho, não se realiza,
sempre tem esperança
para o que idealiza.

As folhas são vida,
elas representam
nossos sonhos.
Delas dependem nosso ar,
sem elas não temos nada.
Brasileiro não pode sonhar.

Eles acharam que eram
uma grande descoberta.
Mas logo souberam
A quem a terra pertencia
Homem branco não sabia
Os fatos, a situação.
E por mais que se explique
Seus atos não têm perdão.

Copyright © 2007. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo do Brasileirinho para fins comerciais